thank-you-490606 (1)

Obrigada aos FDP

 

Escreverei hoje na primeira pessoa. Importante enfatizar que não estou xingando a mãe de ninguém apenas, usando uma sigla para um termo que usamos corriqueiramente para “desopilar o fígado” em um momento de raiva. Não se trata de um desabafo tampouco, não faço isso nas redes mas, esse assunto com certeza, já aconteceu com todo mundo. Sendo assim, poderá valer para o coletivo e quem sabe, sem pretensão alguma, trazer alguma reflexão. 

Como é fácil, agradecer aos que sempre foram legais, gentis e presentes em nossas vidas. Ultimamente, adquiri um hábito muito estranho, fazer leituras reversas de frases que leio, de conversas ou situações que vivencio. Exemplo: “ Não espere dos outros, o que fazemos por elas”. Ao término dessa leitura, logo  vem á cabeça nossas boas ações. Como somos todos “bonzinhos”, não é? Agora o inverso… Pensaram que desastroso seria, se todos resolvessem fazer “tudo” que já fizemos por elas? Afinal, todos damos mancadas. Cuidado com aquilo que se deseja…

Hoje, em uma conversa, aquelas que sentamos para falar de um determinado assunto e acabamos falando de tudo, menos do assunto inicial, começamos a falar sobre um tema, “pessoas que já foram FDP com a gente, no decorrer de nossas vidas”, eu dei esse título agora, não demos esse nome durante o papo…enfim… Pessoas que nos passam para trás, que nos magoam e blá, blá, blá… No português informal atual, “Quem nunca?”

Durante a conversa, lá fui eu pro centro do Universo como de costume e olhando para o meu “cosmos particular” pensei, “cara, como foi bom tudo isso, cada decepção, coração partido, amizades desfeitas e blá, blá,blá”…  E ao invés de xingar mentalmente cada FDP, voltei para a Terra, decidida a fazer o inverso e lhes agradecer.

Quero aqui, em público, soltar o meu sonoro e sincero, “valeu galera, obrigada mesmo por cada sacanagem” e a todos vocês, o meu pedido de desculpas, por alguma sacanagem minha, repetindo o chavão…”Quem nunca”. Não foi por mal, sério mesmo,  somos programados a primeiro satisfazer nossas vontades e egos, e aí… ops… e por acreditar (eu e a mania de acreditar) que também não foi por mal da parte de vocês, seguem meus sinceros agradecimentos. Verdadeiros professores, foram todos vocês. Quem sabe, não era essa afinal, a função dos FDP, ao passarem pela minha vida.

Obrigada aos meus colegas de escola e trabalho pelos bullyings. Sou da época que nem se falava em politicamente correto e reclamar então, era um horror, tinha que aguentar calado, ser forte, fazia parte de amadurecer. Com isso, aprendi a encarar  críticas, como algo a ser melhorado, ver se é real mesmo ou só alguém que não tem nada na vida pra fazer, a não ser ficar xeretando e perturbando a minha. Sem crise existencial. Vai saber se a minha vida é mais interessante. Aviso, não é. Sou normal na medida do possível, igual a todos, trabalho, estudo, pago contas, passo perrengues, erro, acerto, só não fico fazendo “cavalo de batalha” disso aí. “Tá”, já fiz uns sim, confesso, me senti chata demais e parei. 

Obrigada ao meu ex-marido, ex-namorados, ex-ficantes, ex- qualquer nome que se use, graças a vocês, aprendi o que eu não quero em uma relação. Processo seletivo, sempre!

Valeu cada toque, cada mentira contada, achando que eu não sabia, (eu sabia, só dava corda mesmo, pra ver até onde ia) aprendi com vocês a “abstrair e fingir demência”, serei melhor assim espero, para os próximos que virão, só porque não deu certo com vocês,  ficarei sem beijar na boca, “deosolivre”. Ah, lembrei, vocês me ensinaram algo lindo… meu lado doce e menina, é meu! Afinal, só se serve a sobremesa, ao fim da refeição, certo? Quem vier, terá se assim quiser, experimentar meu lado “dia a dia” também.

Obrigada aos caloteiros. Horrível, fazer um trabalho e não receber por ele. A gente conta com o dinheiro, afinal todos temos compromissos. Nunca fiz e nunca farei isso afinal, doeu em meu bolso, doerá no bolso do outro também.

Obrigada a cada um que prometeu e não cumpriu. Aprendi a viver sem criar expectativas, essa na verdade, foi a pior lição a se aprender, porque sou dessas que não fala, faz! Mas, cada um dá o que tem, e há só quem possa dar expectativas mesmo.

Obrigada aos orgulhosos, com vocês aprendi o valor de se redimir.

Obrigada amigas(os), que sumiram, sem nenhuma explicação. Senti falta no início, mas depois vi, não era amizade. Com vocês, aprendi a discernir quem é conhecido e quem é amigo. Ótimo filtro. Talvez, eu tenha sido filtrada também.

Obrigada a todos que um dia pensaram em me fazer algum mal, fizeram sem eu saber ou passaram seus dias pensando mal de mim, passo meus dias tão ocupada e assim não sobra tempo para isso, de qualquer maneira, pensei em vocês também. As pessoas que andam ocultas em nossas vidas.“Tô” de boa, ocupada demais me ocupando da minha. Então, se ainda estiverem com esse pensamento, parem OK, não tá surtindo efeito. É só um toque. Gastem suas energias em algo produtivo, leiam, corram, lavem a louça, durmam, sei lá. Nunca acordei pensando… ”Hoje eu sacaneio alguém”, mas vai saber, melhor prevenir. 

Obrigada por todas dores de cabeça, noites mal dormidas, complexos gerados e por fim superados. Foi libertador esse pensamento. Ficar “de boa”, fazer as pazes com vocês, foi muito lindo.

Sem sarcasmo, estou grata mesmo, a ponto de vir lhes agradecer. Tenho até um certo carinho, ri de mim mesma, por ter sofrido por alguns de vocês, que se lixaram afinal, mesmo me sacaneando, houve  ensinamento e essa é a beleza. Aprender e não se lamentar. Dá uma leveza e tirou uns bons quilos da minha balança da vida.

Valeu galera! Quem sabe um dia a gente ainda se encontre e bebe algo juntos….